concurso1Venho acompanhando o concurso público da PRF em face dos abusos cometidos contra alguns amigos.

O concurso vem sido traçado de forma tumultuada. E são vários pontos ilegais, que inclusive está gerando Ações Civis Públicas por todo o Brasil.

A primeira ilegalidade visualizada se refere ao teste físico da prova de corrida. Isso porque, muitas delas não foi isonômica com os candidatos. Um exemplo foi a que ocorreu aqui no Estado de Rondônia, no qual a prova foi constituída de barreiras com ângulos de 90º, ao contrário de grande parte dos Estados em que a pista foi ovalada. Tal fato por lógica facilitou àqueles que realizaram a prova nesta última pista.

O motivo é simples: quem correu em pista retangular teve obrigatoriamente desacelerar por diversas vezes, a contrário daqueles em pista de atletismo que não houveram necessidade de desaceleração.

Outro fator de ilegalidade questionado no concurso está sendo os exames médicos, que estão com critérios inexatos considerando candidatos inaptos a exercer a função. Isso está ocorrendo principalmente com candidatos deficientes físicos. Acontece que a norma reguladora concede o direito da avaliação médica de portadores de necessidades especiais ocorrer somente no estágio probatório (vide o Decreto 3298/99). Portanto, mais uma vez ilegal o ato.

Certamente o concurso continuará será cercado de diversos mandados de seguranças e ações cautelares.