dinheiroAumento de 15,8% para a Polícia Civil (PCDF), Polícia Militar (PMDF) e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) foi aprovado pelo plenário da Câmara dos Deputados no fim da manhã de ontem. Os parlamentares também deram o aval para a criação de pouco mais de 3 mil novos cargos para a PCDF. O reajuste foi dividido em três partes a serem pagas entre este ano e 2015. Os dois projetos de lei seguem agora para o Senado Federal; a expectativa é de que sejam votados rapidamente para que a primeira parcela seja paga em abril.

 Mesmo formada por deputados da base do governo e de oposição, a bancada de oito deputados do DF caminhou junta para tentar agilizar a votação. “Fechamos um acordo entre nós para conseguir a aprovação em plenário. Negociamos, inclusive, com os parlamentares de outros estados”, disse o deputado federal Luiz Pitiman (PMDB-DF), que é o coordenador do grupo.

 Para o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), o ambiente para a aprovação dos projetos de lei no Senado é positivo: “É preciso rapidez, pois essas categorias são aquelas que sobraram das negociações do ano passado com o governo federal”, disse. Ele acredita que os dois temas deverão entrar na pauta nas próximas sessões da Casa e que não deverão sofrer resistência de outras bancadas.

 Três mil cargos

O reajuste para os policiais e bombeiros militares e dos policiais civis da capital federal precisa ser aprovado pelo governo federal, Câmara e Senado porque as categorias de segurança pública de Brasília recebem seus salários diretamente da União. Junto com outros servidores, as três áreas não fecharam acordo no ano passado, quando funcionários do serviço público federal aceitaram a proposta de 15,8%. Ao longo de 2012, os policiais militares do DF fizeram operação-tartaruga e os civis fizeram greve em busca de aumentos mais significativos.

 Outro projeto de lei aprovado pelos deputados relacionado com a área de segurança cria 3.029 cargos na Polícia Civil. São 200 delegados, 80 peritos médico-legistas, 199 peritos criminais, 2 mil agentes, 495 escrivães e 55 papiloscopistas. A Secretaria de Segurança Pública do DF explica que o aumento dos quadros da corporação é importante porque o último concurso realizado foi há mais de 15 anos.

 Mais

Na noite da última quarta-feira, os deputados federais aprovaram também aumento de 15,8% para categorias que não fizeram acordo com o governo em 2012. Entraram no pacote: auditores da Receita Federal, auditores fiscais do Trabalho, analistas tributários da Receita Federal, analistas e técnicos do Banco Central, analistas e especialistas em Infraestrutura, analistas e agentes executivos da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e carreiras e cargos do Ministério da Reforma e do Desenvolvimento Agrário.

Fonte: Correio Braziliense