agenteAgentes penitenciários de todo o Brasil decidiram realizar uma paralisação nacional de 24 horas no próximo dai 30 de janeiro. A decisão foi tomada em Brasília, dia 15, por líderes sindicais e representantes da Federação Nacional dos Servidores Penitenciários (Fenaspen) em protesto ao veto presidencial no Projeto de Lei Complementar nº 87/20011, que trata do porte de arma fora de serviço para os integrantes da categoria.
Em Rondônia, o presidente do Singeperon, Anderson Pereira, confirmou que irá convocar os filiados em assembleia para deliberar sobre o movimento. “O Edital de Convocação será divulgado nesta quinta-feira, dia 17”, adiantou. 
A reunião em Brasília definiu também alguns pontos, tais como a realização de Ato Público no próximo dia 23 de janeiro com a divulgação pela Fenaspen de uma carta aberta à sociedade e a coleta de assinaturas em repúdio ao veto da presidente Dilma Rousseff. Ficou definido ainda, a publicação de um Edital de Convocação para que caravanas dos estados que aderiram à paralisação compareçam ao Congresso Nacional nos dias 20 e 21 de janeiro para deliberarem pela greve por tempo indeterminado, caso não se derrube o veto antes do prazo.
Na oportunidade, o presidente da Fenaspen, Fernando Anunciação, anunciou que os prazos legais serão respeitados para que o movimento não seja considerado ilegal. “Esperamos que todos os estados venham somar conosco, já que essa luta não é individual de cada estado, todos irão se beneficiar com a lei, então precisamos do apoio maciço de toda a categoria em nível de Brasil, pois temos que mostrar a nossa força neste momento”, ressaltou.

(Com informações de Nelli Tirelli – Sindspen/MT)