policiaOs policiais que atenderem ocorrências com vítimas em estado grave não poderão socorrê-las a partir desta terça-feira em São Paulo. O serviço de atendimento deverá ser feito pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ou pela equipe de emergência médica local.

 A decisão do secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, está em uma resolução que será publicada no Diário Oficial. São entendidos como graves os crimes de homicídio, tentativa de homicídio, latrocínio (resistência seguida de morte), lesão corporal grave e sequestro que resultou em morte, incluindo situações que tiveram a participação direta de policiais, de acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo.

 O objetivo da mudança, segundo a publicação, seria evitar que a cena do crime seja alterada por policiais e garantir que o atendimento às vítimas seja feito por profissionais habilitados.

 Além disso, a resolução altera, entre outras coisas, a nomenclatura usada em boletins de ocorrência de crimes envolvendo confronto com policiais. O termo “resistência seguida de morte” será trocado por “morte decorrente de intervenção policial”, seguindo uma recomendação do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana.

 

Fonte: Jornal do Brasil