aprovados singeperonO presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Socioeducadores, Técnicos Penitenciários e Agentes Administrativos Penitenciários do Estado de Rondônia (SINGEPERON), Anderson Pereira e mais de 200 aprovados no concurso 2010 para agente penitenciário, estiveram concentrados na Praça Getúlio Vargas, em frente ao Palácio do Governo do Estado, desde as primeiras horas da manhã de segunda-feira (17), para uma manifestação cujo objetivo é cobrar do governo e da Secretaria de Estado de Justiça de Rondônia (Sejus) uma definição sobre o acordo assinado para a realização do curso de formação.
A comissão à frente do movimento afirma que durante esta semana mais trabalhadores chegarão do interior do estado para participar desta manifestação. A manifestação está programada para ser realizada também em frente à Assembleia Legislativa, nesta terça-feira, 18, oportunidade onde irão se reunir com a Presidência da ALE, Casa Civil do Governo e Sejus. Anderson garante que o protesto vai seguir até o governo manifestar seu posicionamento sobre este concurso. “Cumprir o que foi prometido, pois estamos cansados de promessas que não são cumpridas. O governo até agora não se manifestou”, explicou.
Segundo Anderson Pereira o apoio do sindicato é fundamental, “pois os concursados estão à espera há dois anos para a realização da academia mediante o acordo assinado pelo secretário de Justiça e pelo chefe da Casa Civil com previsão de início em janeiro. E agora temos informações de que o curso de formação mais uma vez será adiado”, declarou.
Pereira comenta indignado que “eles tiveram de largar emprego, já se matricularam e o Singeperon está aqui para apoiar esta manifestação justa e pacífica. Estamos apenas no primeiro dia e o movimento vai se fortalecer ainda mais. Amanhã, 18, participaremos de uma reunião com o presidente da Assembleia Legislativa, e este encontro certamente vai contar com representante do governo para apresentar a posição para estes pais de família que precisam urgentemente de uma definição”, acrescentou o líder sindical.
Ainda no ponto de vista do presidente do Singeperon é uma falta de respeito com estes profissionais. “O Sistema está precisando e a falta de efetivo está clara, inclusive o próprio secretário fez uma portaria alterando nossa escala de maneira inconstitucional, mas não conseguiu porque não tem efetivo. Sabemos que existem pessoas para contratar e por que não contratam? São 600 pessoas querendo trabalhar e com isso certamente seriam resolvidos os problemas tanto em Porto Velho como em outras regiões do estado. Consideramos a justificativa implausível por parte do secretário de Justiça alegando falta de verba”, disse.
A presidente da Comissão dos aprovados no concurso 2012 para agente penitenciário, Jane Carvalho ressaltou a indignação de todos com o descaso do governo em não cumprir o acordo assinado. “Na verdade, já havia sido adiado de julho deste ano para janeiro de 2013. Ouvimos do secretário de Justiça, Fernando Oliveira que não há previsão para quando se iniciaria, e sabemos que o orçamento existiu, porém, o nosso curso não aconteceu, e estamos mais uma vez sem perspectiva” argumentou.
Jane lembrou que o presidente da ALE também assinou o acordo junto com a Casa Civil, SEJUS/RO, SEAD. “Amanhã participaremos de reunião para cobrar o cumprimento deste acordo. Estamos matriculados, o pessoal comprou fardamento, largou emprego, teve muitos gastos, muitos vieram do interior trazendo a família e aguardam até hoje para fazer o curso. Lutamos para o governo cumprir este acordo. Até agora não vimos nenhuma movimentação nem para definir o local do curso, e a nossa convocação. Já estamos no dia 17 de dezembro e até este momento nada mudou”, declarou.
Ela afirma ainda que “o Secretário de Justiça, Fernando Oliveira garantiu logo depois do acordo assinado, o curso de formação seria feito em escola pública, depois disse que somente depois de licitação, falou ainda que seria contratada uma faculdade por meio de dispensa de licitação, e mais uma vez o procedimento foi alterado e se decidiu novamente pela licitação. É um disse me disse que nunca termina e estamos aqui para cobrar a definição do local do nosso curso, o acordo firmado para início do curso, assim como a nossa convocação” finalizou Jane.

Assessoria SINGEPERON