violencia negrosImplementado inicialmente em Alagoas, o Plano de Prevenção à Violência contra a Juventude Negra será expandido, no primeiro semestre de 2013, para mais cinco unidades federativas: Paraíba, Espírito Santo, Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul. O plano tem ações para reduzir a vulnerabilidade dos jovens negros em situações de violência e começou a ser implementado em setembro deste ano nas cidades de Maceió, Marechal Deodoro e Arapiraca.

As ações do plano, conhecido por Juventude Viva, foram discutidas hoje (27) em reunião com a participação de representantes do governo e da sociedade civil. A vulnerabilidade da juventude negra foi evidenciada por meio de dados que mostram que os homicídios são hoje a principal causa de morte de jovens de 15 a 29 anos no Brasil e atingem especialmente negros do sexo masculino, moradores das periferias e áreas metropolitanas dos centros urbanos. Dados do Ministério da Saúde mostram que 53,3% das 49,9 mil vítimas de homicídios em 2010 no Brasil eram jovens, dos quais 76,6% pretos e pardos e 91,3% do sexo masculino.

Lutar contra essa realidade é o que busca Rúbia do Nascimento, da Rede de Jovens do Nordeste. “A juventude negra vem sendo exterminada, violentada, mas a juventude negra é guerreira, forte, sobrevivente e carente de atenção de políticas públicas. Não somos o futuro, somos o hoje, e queremos agora”, disse ao participar do evento.

Fonte: Exame