O secretário de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), Marcelo Bessa, esteve na sexta-feira (9), no programa “A Hora do Povo”, na rádio Rondônia FM, apresentado pelo jornalista Maurício Calixto, onde fez um balanço da sua gestão à frente a pasta.
Questionado sobre a violência no Estado, Marcelo Bessa disse que, quando assumiu a secretaria, o índice de homicídios chegava a 35 para cada 100 mil habitantes e que este ano, houve uma queda de 27.9 por 100 mil habitantes. A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) considera um índice baixo 25 homicídios para cada 100 habitantes. “O governo de São Paulo diz que o seu índice de homicídios está dentro da meta, só que a metodologia aplicada por eles é diferente dos demais estados. Por exemplo, aqui em Rondônia, nós contabilizamos cada homicídio ocorrido numa cena do crime, lá não, eles contabilizam somente a cena do crime. Por isso estão apresentando uma queda na criminalidade”, disse Bessa. 
Quanto à chamada crise econômica, ele disse que simplesmente o governo, por precaução, contingenciou alguns recursos e que não procede a informação de que está faltando combustível e viaturas nas ruas. “À gerência de logística da Sesdec estipulou uma quantidade de litros por dia para cada viatura, não impedindo que assim que acabe, faça o abastecimento. É uma forma de controle do quanto é consumido por dia”. Bessa destacou ainda que esse contingenciamento também acontece na esfera federal, o que tem refletido em Rondônia. “Tem estados que já estão atrasando a folha de pagamento e até parcelando. E isso ainda não aconteceu aqui”, salientou Bessa.
Marcelo Bessa tranquilizou a população dizendo que a transferência do traficante Francisco Antônio Cesário da Silva, conhecido como “Piauí”, do presídio de São Paulo para o de Porto Velho, não trará a criminalidade para o Estado. “Já virou ‘clichê’, dizer que os assaltos e furtos aos bancos são de quadrilhas ligadas aos traficantes presos no presídio federal de Rondônia. Nossa equipe de inteligência e a do presídio, nunca identificou nenhuma informação de ligação aos presos. Todos os integrantes de quadrilhas presos até agora são da Capital e alguns do Mato Grosso”, salientou.
Ao final, Bessa disse que irá aumentar o efetivo policial nas ruas neste final de ano, período em que o comércio da capital se movimenta, levando o aumento de furtos e roubos. “Estaremos nos reunindo com a Sejus para tratarmos sobre o indulto natalino – concessão de liberdade para presos do semiaberto e que tenham cumprido metade da pena. Iremos identificá-los por meio de um sistema biométrico, e através de fotos. Dessa forma ficará mais fácil fazer o controle caso necessite a identificação”, destacou.
Respondendo perguntas dos ouvintes, o secretário disse que existe sim a previsão para o ano de 2013 de concurso para a Polícia Militar, Bombeiros e Polícia Civil, contudo depende da finalização da transposição dos servidores do Estado para os quadros da União. Ele destacou ainda que, no próximo mês estará entregando a nova central de polícia da Capital, que teve atrasos por motivo de erro no projeto do telhado.

Fonte: Decom