Representantes do Google e grupos que combatem redes ilícitas vão se reunir nesta terça e quarta-feira, 17 e 18 de julho, em Westlake Village, Califórnia, para desenvolver estratégias de combate ao crime internacional.

Nos últimos meses, o Google vem silenciosamente usando sua capacidade de pesquisa para junto com o Conselho de Relações Exteriores dos EUA investigar cartéis de drogas, lavagem de dinheiro e atuação de traficantes que usam sofisticadas operações on-line.

“O Google está em uma ótima posição para assumir esse desafio”, disse Rani Hong, um sobrevivente do tráfico de crianças na Índia que agora é assessor especial das Nações Unidas. “Eles são um meio poderoso e têm grandes ferramentas para resolver esse problema.”

Dezenas de pessoas vão participar da cúpula, incluindo Semanas Kimmie, que quando criança foi sequestrada na Libéria; Juan Pablo Escobar, filho do ex-traficante colombiano Pablo Escobar; o assistente da secretaria de defesa dos EUA Andrew Weber; e Brian Dodd, que dirige uma organização contra o terrorismo e crimes transnacionais.

“Pode soar como um caminho diferente para o Google, mas as empresas de tecnologia têm hoje uma série de ferramentas poderosas para trazer à tona essas redes ilícitas, lutar contra a corrupção e fortalecer aqueles que estão tentando combater a criminalidade transnacional”, disse Stewart Patrick, um membro sênior do Council On Foreign Relations, que ajudou a organizar a conferência.

“Nós todos sabemos que os criminosos usam a internet, mas agora estamos dizendo que este meio também pode ajudar a acabar com eles, e ajudar os sobreviventes e defensores a trabalhar juntos”, disse Pardis Mahdavi, professor assistente de antropologia da Pomona College que está trabalhando com o Google para achar as redes criminosas na internet.

A reunião desta semana acontece após uma conferência realizada em Dublin, na Irlanda, no ano passado que reuniu mais de 60 ex membros de quadrilhas para se concentrar em como acabar com a violência extrema.

Fonte: oglobo.com