Segundo as informações da Sead as margens e consignações já estão liberadas. O empecilho quanto ao programa utilizado, bem como a operacionalização já foram sanados. Diante disso, os servidores públicos que estavam esperando a liberação para realizarem empréstimos já podem fazê-lo, pois as operações já se normalizaram.

Hoje o gerenciamento das consiganações não será mais feita por empresa particular, mas sim pelo próprio Estado, o que além de trazer economia ao Estado também trará maior transparência nas operações.

Quanto aos empréstimos fica sempre o conselho de se pensar muito antes de fazê-lo, pois em regra as parcelas são longas e os valores são cumulativos de juros.

Mas para aqueles para o qual o empréstimo é inevitável fica o conselho de pesquisar bem as taxas de juros, que atualmente estão reduzidas. Então o que antes passava dos 2% ao mês, hoje alguns bancos se cobra em até 1,5%. Segundo as informações de alguns corretores os servidores devem ficar atentos ao C.E.T, que é o custo efetivo da transação. Isso porque, caso o cliente não preste atenção os juros podem ser acrescidos e o que era baixo se torna caro. A informação é importante porque há variações do C.E.T em até 1%, o que pode mudar muito o valor global do juros.

Portanto, pesquisem a variação dentre os bancos, pois o mesmo empréstimo pode ter grandes variações.

Aos amigos fica o grande abraço!