Depois de sancionar a Lei 2.617/2011 que trata da campanha continuada de repúdio aos crimes de violência praticados contra a mulher em Rondônia, o governo do Estado deverá dar mais uma importante contribuição à luta contra a violência à mulher com o funcionamento ininterrupto das delegacias especializadas e instalação de outras unidades nos municípios que ainda não dispõem. A medida, que atende solicitação de movimentos sociais, como os Conselhos Estadual e Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, será amplamente discutida em uma reunião pré-agendada pelo chefe da Casa Civil, Juscelino do Amaral, para o próximo dia 18 com a participação de representantes dos conselhos, Secretaria de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), Polícias Militar e Civil, Defensoria Pública, Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas, Centro de Defesa dos Direitos da Mulher, Casa-Abrigo, entre outros de defesa da mulher e de combate à violência.

A reunião para o dia 18 foi acertada na manhã desta quinta-feira (29), quando Juscelino do Amaral recebeu em seu gabinete uma comitiva de mulheres que compõem os conselhos municipal e estadual, além da Defensoria Pública do Estado, que conta com um núcleo de atendimento extra-oficial voltado para as mulheres vítimas de agressão. No encontro, que fez parte da agenda de março, o mês dedicado às mulheres, as conselheiras apresentaram ao chefe da Casa Civil a sugestão para que seja adotada como política pública do Estado o funcionamento da Delegacia da Mulher durante 24h e a capacitação da equipe responsável pelo atendimento, uma vez que muitas vítimas afirmam sofrer discriminação quando procuram a Central de Polícia ou uma delegacia não especializada.
Ao empenhar apoio às mulheres, inclusive vestindo literalmente a camisa símbolo da luta, Juscelino garantiu que o governador Confúcio Moura é sensível à causa e tem buscado meios para combater todo tipo de violência, em especial contra a mulher, que devido aos grandes empreendimentos em instalação no Estado e ao consequente aumento populacional tem tomado proporções imensuráveis, só sendo contabilizados os casos em que a mulher ou pessoa próxima denuncia. O chefe da Casa Civil mostrou relatório da Polícia Civil sobre o atendimento nas delegacias, em que se constata que o pico das agressões está no período da noite e aos domingos.
Ele também enfatizou que as medidas a serem tomadas pelo governo serão em nível estadual, pois apesar do foco da violência se concentrar na Capital, há ocorrências de grande impacto no interior onde a precariedade do atendimento é mais evidente. “Esse é o governo da Cooperação que agora tem como marca o FutuRO, e nesse futuro o combate à violência contra a mulher está incluso”, disse Juscelino ao assumir o compromisso, em nome do governo, de discutir a ampliação do horário de atendimento nas Delegacias da Mulher e disponibilizar equipe capacitada para um atendimento mais eficaz, que estimule a mulher a denunciar com a garantia de ter seus direitos preservados.
As conselheiras ainda informaram a Juscelino do Amaral que está em fase de elaboração um plano de ação para todo o Estado.

Fonte: Decom