A partir de uma denúncia do Ministério Público Federal, duas pessoas foram presas ontem sob a suspeita de exigir US$ 100 mil para que o nome de um advogado desaparecesse de uma investigação da Polícia Federal.

Entre os presos, está um advogado e um “ganso” (informante policial). A Polícia Federal não quis revelar os nomes dos presos.
Além dos dois presos, um terceiro envolvido, o policial civil Carlos Eduardo Ortolane, conforme apurou a Folha, teve a prisão decretada pela 1ª Vara Criminal da Justiça Federal por suspeita de participação na possível extorsão.

Até o momento, a reportagem não localizou nenhum advogado do policial Ortolane, que está foragido. Ele esteve afastado da Polícia Civil até agosto do ano passado, quando retornou ao trabalho.

Uma delegada da própria Polícia Federal em São Paulo também está entre os investigados sob suspeita de participar da tentativa de extorsão contra o advogado, que foi quem procurou o Ministério Público Federal. Um segundo policial civil também é investigado.

Além dos três mandados de prisão, a Justiça Federal também determinou que a Polícia Federal cumprisse oito mandados de busca e apreensão em locais onde havia a suspeita que existissem documentos que ligassem os suspeitos à extorsão.

De acordo com a PF, os suspeitos serão indiciados pelos crimes de formação de quadrilha e concussão (extorsão praticada por servidor público).

Fonte: Folha de S.Paulo