Policiais do norte e do oeste do Paraná fizeram manifestações na noite de sexta-feira (25) por melhores salários. Eles fizeram vigílias e reclamaram da postura do Governo Estadual nas negociações pelo aumento dos vencimentos, bem como a estruturação do plano de carreira das categorias.

Em Campo Mourão, cerca de 50 policiais se reuniram na Praça da São José. Eles discursaram, acenderam velas e rezaram do lado de fora da Catedral do município. Depois saíram em carreata pelas ruas da cidade.

Em Umuarama, o protesto envolveu outros 50 policiais civis, militares e bombeiros e familiares. Na Catedral da cidade, eles acenderam velas, colocaram faixas e cartazes e pediram melhores propostas por parte do Governo do Estado. Mesma ação foi realizada na Catedral Nossa Senhora Aparecida, em Cascavel, onde policiais e bombeiros fizeram vigília.

Caixão em protesto da polícia em Foz do Iguaçu (Foto: Reprodução RPC TV)

Em Foz, acompanhados das famílias, eles colocaram um caixão em meio a uma praça da cidade com os dizeres “Segurança Pública”, além de “Respeito”, “Dignidade”, entre outros. O grupo também acendeu velas e realizou um apitaço. Enquanto os policiais civis reclamavam do posicionamento do governo e dos líderes sindicais nas negociações, o militares e bombeiros alegam que as decisões governamentais tomadas até o momento não beneficiam agentes antigos.

Reunião
Na tarde de sexta, o Governo Estadual se reuniu com representantes da Polícia Civil e apresentou uma nova proposta de pagamento dos valores referentes ao aumento salarial e da Emenda 29. Os policiais tiveram acesso a uma tabela com o cronograma de pagamento referente a 2012, mas se comprometeram a não divulgar os dados até que uma conversa com representantes da Polícia Científica seja realizada no dia 28 de fevereiro, mesma data em que uma assembleia da categoria deve votar esta nova proposta.

Na quinta-feira (23), o Comando Geral da Polícia Militar (PM) também recebeu uma proposta do governo com uma tabela de vencimentos para todas as patentes e cargos da categoria. O Comando ficou encarregado de repassar a tabela às associações que representam os PMs.

Com essas iniciativas, o governo espera fechar um acordo com todos os policiais e afastar a possibilidade de greve. No dia 16 de fevereiro, os sindicatos da Polícia Civil chegaram a aprovar um indicativo de greve, que deveria ter começado no dia 19. Contudo, uma decisão do Tribunal de Justiça do Paraná proibiu os policiais de paralisar as atividades.

Fonte: G1