O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou que o governo pretende estabelecer um mecanismo que assegure o crescimento do efetivo da Polícia Federal (PF), tendo como ponto de partida os concursos que o departamento irá realizar em 2012, para o preenchimento de 1.200 vagas.

A informação foi passada por Cardozo durante reunião do Conselho Nacional de Segurança Pública (Conasp), realizado no último dia 7, de acordo com a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF). No ano passado, o então diretor de Gestão de Pessoal da PF, Maurício Leite Valeixo, já havia informado que o objetivo do departamento é formar cerca de mil policiais a cada ano.

As 1.200 vagas autorizadas pelo Ministério do Planejamento para este ano serão oferecidas em dois concursos, com o primeiro, para agente (500 vagas) e papiloscopista (100), tendo os editais (um para cada cargo) previstos para este mês. A expectativa é que nos próximos dias seja anunciada a organizadora da seleção. A PF está trabalhando para aprovar a dispensa de licitação para a contratação do Cespe/UnB, tradicional organizador dos concursos do departamento.

Os editais do segundo concurso, para escrivão (350), delegado (150) e perito (100), deverão ser publicados em março ou abril, conforme cronograma divulgado pela PF. A publicação não traz as datas previstas para as provas dos concursos, mas devido à urgência do departamento em prover os cargos, as primeiras avaliações deverão ser realizadas em abril para agente e papiloscopista, e em maio ou junho, para os demais, observando-se apenas o intervalo mínimo de 60 dias entre a divulgação do edital e a aplicação das provas, previsto no Decreto 6.944/2009, que normatiza os concursos federais.

Segundo o cronograma divulgado, o curso de formação deverá ser iniciado em julho ou agosto no primeiro concurso, e em janeiro do ano que vem, no segundo. Já a nomeação dos aprovados está prevista para dezembro ou janeiro de 2013, no caso de agente e papiloscopista, e para junho ou julho do ano que vem, para escrivão, delegado e perito. A lotação deverá ser nas regiões de fronteira.

Requisitos e vencimentos – Os cargos de agente, papiloscopista e escrivão têm como requisito o ensino superior completo em qualquer área. Para delegado, é exigido o bacharelado em Direito, e para perito, a formação superior em área específica (há várias possíveis). Para todos eles, é necessário também possuir a carteira de habilitação na categoria “B” ou superior. As remunerações iniciais são de R$7.818 para os três primeiros, e de R$13.672 para delegado e perito. Os valores já incluem o auxílio-alimentação de R$304.

Apoio – A PF ainda possui pedido de concurso em análise no Planejamento para 328 vagas de agente administrativo, cargo de nível médio, com iniciais de R$3.203,97 (com auxílio).

Fonte: Antena FM